Uso de Drogas
Exemplo de imagem

Uso de drogas

Quando usamos drogas, nossos neurônios alteram o potencial de seus impulsos, devido a polarização e despolitização.
Então demora mais ou menos , para localizar seu caminho, conforme o tipo de droga usada.
Isso altera a percepção das sensações externas, que nosso sentido capturam do meio em que estamos.
As mensagens recebidas pela visão, olfato, paladar, sons ou tato, ficam alteradas, então nos expressamos diferente do normal, com isto mudamos nosso entendimento e alteramos e nossa personalidade, com ações fora dos padrões moral, social e ético.
Com o uso constante, passamos a ser escravos do hábito, uso e vício. Porque nossa mente pede mais e sempre do mesmo, daquilo que lhe dá recompensa, prazer e bem-estar.
Então teremos esta ideia fixa para usar, que é a obsessão.
Teremos sempre a vontade incontida de usar que é a compulsão.
Teremos sempre o desejo de ter em posse a droga, que é a possessão.
Com estes conjunto de desejos, para o prazer imediato, passamos à ser adicto,afeiçoado ao vício e um financiador do traficante.
A doença da adicção é INCURÁVEL, PROGRESSIVA E FATAL.
INCURÁVEL: porque o prazer, bem-estar, entorpecimento de nossas sensações e reflexos, nossa fuga da realidade, ficou gravada em nossos neurônios para sempre, criou um caminho em nossa rede neuronal, na verdade abriu uma avenida para o trânsito de nossa maneira de agir, a qual não esqueceremos jamais. Senão por um intenso treinamento e grande força de vontade, ajuda de nossos semelhantes e especialistas, podemos parar o uso de drogas.
PROGRESSIVA: Porque o uso constante só aumenta, conforme o entorpecimento de nossas ideias, nossa maneira de ver o mundo, maneira de entender a vida, vista por nossa visão egoísta, curta, egocêntrica e narcisista. Queremos usar e somos resistentes ao efeito das drogas.
FATAL: devido ao aumento do uso, podemos sofrer parada cardio-respiratória.
Nosso cérebro tem um sistema de segurança, para permitir que mesmo no limite do limite, nosso córtex continue emitindo ondas elétricas cerebrais, quando este limite é ultrapassado, entramos em coma, que é o desligamento da consciência .
Ultrapassando este limite, entramos em estado vegetativo, que também têm limite, então há desligamento total, sem qualquer ação de ondas elétricas. É o fim, overdose.
Morte súbita.


SIGA A GENTE NO FACEBOOK